Pesquisar neste blog

Mostrando postagens com marcador reflexões. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador reflexões. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Eu daqui 4 anos


Hoje me deu uma saudade de escrever por aqui, sempre revisito esse espaço que mais do que um blog é um diário meu que serve para me lembrar daquilo que merece ser lembrado. Esse texto, como infelizmente todos que estão sendo produzidos aqui, surgem sem direção e como uma folha voando ao vento segue a direção que o vento lhe der.
Eu como já disse várias vezes tenho muitas coisas para escrever, no entanto, há coisas que nesse momento não podem e não devem ser escritas...Sinto-me despreparada para lidar com determinados assuntos, ao mesmo tempo que sinto-me mudar a todo instante, hoje, fiz o que nunca fiz em 26 anos de vida.
Resultado de imagem para futuroPeguei um shampoo novo com o velho aberto e cheio. Eu fiz porque queria sentir a fragrância do novo, queria e fiz! Sem pensar, afinal isso para uma Aline não é nada correto, ela que sempre vive o fim das coisas, em um repente se viu largando a coisa e começando outra sem viver o fim daquela. Tudo está caminhando dessa forma....e essa história ilustra muita coisa!
Sabe, as coisas não andam como deveriam andar, sabe quando você quer muito algo e quando tem se pergunta porque quis aquilo? Ou porque fez aquilo daquela forma? Havia outros caminhos, mas enfim você seguiu aquele e agora se vê na dificuldade imensa de continuar nesse caminho, todavia, eu somente descobri essa dificuldade, porque me propus a viver esse caminho e como em tudo que vivo foi de forma intensa, mesmo sem tempo uma Aline sempre encontra espaço para a intensidade! Tudo está correndo da forma mais monótona possível...em meio a correria está instalado o caos, a diferença é que agora com decisões tão grandes tudo aquilo que mudo altera grandes coisas e então eu fiquei pensando em como me vejo daqui 10 anos, achei tempo demais, reduzi para 5, ainda não consegui visualizar e então reduzi para 4 e mesmo não planejando muito publicamente o futuro, esse eu registrarei neste espaço...


Vejo-me planejando minha volta de um outro país, com amigos novos, novos costumes, novos lugares e uma certeza de que meu lugar não é fora do país de que longe de ser EMIGRANTE eu posso ser somente migrante e assim me vejo também preparando minha morada para uma das regiões extremas do país brasileiro. Vejo-me deixando meus pais a par de todas as questões daqui e sendo meus resolvedores rsrsrs abrindo mão do meu, vejo-me procurando casa de aluguel nessa extremidade, tendo um emprego com adulto e sentindo saudade das crianças, mas ao mesmo tempo vejo-me satisfeita com o descanso, lazer e vida proporcionado pelo novo emprego.
Daqui 4 anos estarei com 30 e me vejo com uma dúvida cruel de ter um filho, seja uma dúvida independente ou quem sabe (quem sabe mesmo) uma dúvida conjunta....Mas vejo-me por diversos motivos aceitando a boa ideia de não ter filhos e prosseguir insistindo para minha irmã ter um filho e dividir comigo essa belezura.
Daqui 4 anos, vejo-me por fim desfazendo-me por completo da querida biz rsrsrs vejo-me bem resolvida, com cicatrizes bem resolvidas e com autoconhecimento de mim mesma. Vejo-me distante, distante daqui, distante de tantos, mas disposta a conhecer outros tantos de "gentes brasilis". Vejo-me sem plenitude, mas buscando a magnitude, vejo-me forte, corajosa, feliz, mas um feliz contido, um feliz com alguns arrependimentos e algumas saudades do agora...Mas no fundo uma certeza de que aquilo que era certo foi feito! Também vejo-me com um medo danado de querer aquilo que não nasci para querer...
4 anos é o tempo para saltar do trampolim, pegar o impulso para depois de mais 4 anos me estabilizar...4 anos será fechamento de ciclo, tempo de mudanças. Ahhhh 4 anos será? O que será de mim? Deus é a resposta certa, mas os planos estão feitos! 


sexta-feira, 29 de setembro de 2017

História de uma vida de estudo e oração


Estava fazendo o que mais faço no momento: escrever textos para eventos científicos, mas esse evento foi um pouco diferente eu pude relatar da minha pesquisa de mestrado sem  recorrer à ela, estava tudo aqui dentro desse pequeno cérebro rs essa sensação foi ótima e com ela me veio a enorme vontade de escrever um pouco. Esses textos são daqueles que eu não tenho a mínima ideia de aonde chegará, mas sei que é um texto pedindo para ser escrito...


Com apenas sete anos a pequena dizia que seria professora e ajudaria seus pais, ninguém acreditava, seu tio ria. Ela cresceu, cresceu, estudava o suficiente, mas não todos os dias. Realizava provas, buscava tirar tudo 10 ou tudo A, mas por um, dois, não conseguiu na Educação Básica e somente conseguiu no Ensino Superior.
Por ser sempre uma das melhores alunas, a pequena, menina, moça, mulher, sempre acreditava que sabia bastante, orava incessantemente pedindo sabedoria para Deus, lia Eclesiastes e Provérbios constantemente, pois eram livros de sabedoria.
Cresceu, com 14 anos, tentou passar em uma instituição, não conseguiu e descobriu que precisava estudar muito para entrar em uma universidade pública e não sabia o bastante. Cresceu mais um pouco foi trabalhar no quarteirão abaixo da biblioteca municipal da sua cidade, todos os dias no seu horário de almoço ia até lá, devorava livros, revistas, jornais, apostilas, frequentava o SEBO da cidade, comprava livros e mais livros...passou a estudar constantemente, todos os dias na verdade.
Lia, lia, orava, orava...antes de prestar o vestibular teve um encontro com Deus, um peniel que marcou sua vida e lá Deus a mostrou claramente que ela não era nada sem ele, incapaz de mover braços, pernas ou qualquer outra parte do corpo se não fosse pela permissão divina. Sorriu, descobriu o segredo da vida!
Continuou sua vida, prosseguiu...
Prestou o vestibular passou em 6º lugar, chorou, ligou para mãe, choraram juntas (e agora escrevendo está chorando de novo), quanta emoção, quanta benção de Deus. Ela em meio a parentes não formados em universidades, viu sua vida dando um novo rumo e se lembro de um texto que seu pastor leu um dia em que dizia o quão diferente havia sido uma pessoa de seus parentes por estar com Deus.
Deus a fez voltar, trilhou novos caminhos para ela...Ela? Cursou a faculdade, terminou, orou, orou e se tornou a 1ª aluna daquela turma, com a melhor nota, ela só podia agradecer ao Deus do céu o troféu maravilhoso. Prosseguiu, prestou mestrado, entrou em especializações e agora se vê preparando para de fato iniciar o doutorado. Com muito frio na barriga, oração e palavras do seu Deus dizendo "não temas eu estou contigo".


Deus de graça, obrigada por estar comigo, por encher-me de sabedoria e fazer-me andar mais alto! A ti é todo o louvor, pois sem ti eu nada sou.   

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Amor de mãe

Para inspiração: é em um gesto simples de rotina que percebemos o admirável cuidado e amor de uma mãe.

Ligo para a minha e pergunto sobre o primeiro couve-flor comprado, após alguns dias na geladeira ela me instrui a jogá-lo! No telefone lamento e solto um "mas eu estava querendo tanto comer couve-flor..."
No dia seguinte, ela me surpreende, liga para o Pedro e pede para ele ir até ela buscar o couve-flor preparado e ainda completa "ela estava com vontade, está pronto...é só chegar e comer".

Um pequeno gesto, mas uma grande lembrança de cuidado e amor. Sem dúvida foi o melhor couve-flor que eu comi :)

domingo, 2 de abril de 2017

Falta de caráter


Ela diz que sente orgulho da força de vontade e dedicação dele...que é assim que consegue as coisas no trabalho, coitada, mal sabe ela que ele consegue tudo a base de falta de caráter, prejudicando os outros e pisando em quem pode...Visões distorcidas ela está orgulhosa de alguém que mesmo cristão age sem ética alguma, tudo para ser bem sucedido no trabalho...e assim caminha essa nojenta humanidade!


Resultado de imagem para trabalho prejudicando outros





sábado, 25 de março de 2017

Texto tecido em retalhos


É preciso coragem para sentar na frente de uma página em branco do Word e tentar escrever o que não se sabe e não se tem ideia...dias vão, dias vem tudo na mesma...até que você começa a ler umas coisas, outras, reler seus próprios textos e algumas ideias vão surgindo, mas nada concreto...
De repente,  tem-se a iluminação  e o texto vai se tecendo como uma colcha de retalhos, eis que surge o texto.


É preciso coragem para fazer o que não se sabe e mesmo assim escolher caminhar e no caminho descobrir...

sexta-feira, 24 de março de 2017

Beijo com barulho

A pequena de três anos recebeu um beijo meu na bochecha, sorriu, olhou-me e depois de muito pensar com um belo sorriso perguntou:
-Ô prô você sabe dar beijo com barulho?!
Aquela simples pergunta me fez pensar: será que eu sei? Adultos se acostumam a discretamente demonstrarem afeto enquanto crianças o demonstram com "barulho".

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Limpeza para 2017


Todo início de ano eu faço algumas coisas para dar start no novo ano, organizo muitas coisas, mas este ano foi diferente,além disso, eu joguei muitas coisas fora rs na tentativa de me livrar de tudo aquilo que é desnecessário e que não caberia no apartamento, então eu:

-Lavei todos os sapatos e doei muitos;
-Tive minha biz lavada pelo esposo mais lindo;
-Cortei o cabelo para doar;
-Limpei meu guarda-roupa e tirei muitas roupas para doar;
-Revi minhas duas estantes de livros, tirei livros repetidos e organizei os demais;
-Organizei as minhas duas pastas de certificados e joguei muitos papeis desnecessários que estavam nela;
-Organizei minhas apostilas e joguei muitas fora;
-Organizei todo meu guarda-roupa e mesa do computador;
-Passei todas as minhas fotos que estavam em CDs para o HD e me livrei das desnecessárias;
-No final, organizei todas as minhas coisas e joguei tudo o que não precisava, ou seja, joguei muita, muita coisa fora! 

Impressionante como estou me sentindo muito mais leve...2017 pode começar, com você já aprendi a levar somente o necessário e vez ou outra olhar o que não preciso carregar e jogar fora. 
Na nossa vida quantas vezes não fizemos isso? Carregamos coisas em nosso coração que são pesadas e desnecessárias, no final, se não tomarmos cuidado vamos sendo acumuladores de lixo, eu te convido hoje a orar a Deus e pedir que ele te mostre o que você tem acumulado no coração que é desnecessário e após isso, jogue fora.




Agora eu posso dizer


Resultado de imagem para feliz 2017


segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Sorrisos confundidos



Desde que me lembro as pessoas  sorriem para mim, me cumprimentam sem eu conhecê-las...Algumas ficam sem graça quando percebem que eu não sou quem estavam pensando, as mais corajosas me dizem que pareço muito com a prima, amiga, conhecida, amiga da amiga e etc...
Quando estou olhando e alguém está me encarando querendo dizer "Oie tudo bem", eu sorrio e penso, "mais uma que está me confundindo" e então respondo...

O fato é que agora vejo isso como um ato de sorte, sortuda sou por receber sorrisos de pessoas que conhecem alguém que se parece comigo...



Oie tudo bem
Sorrisos



Sorrisos

Sorrisos
Sorrisos

Sorrisos
Sorrisos
Sorrisos



Sorrisos
Sorrisos

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Um real ato honesto e nobre



Eu fiquei muito feliz ontem, o fato é que no grupo dos estudantes da UNESP, uma menina postou o acima, descobri que ela é cristã evangélica e fiquei muito mais feliz ainda. Cristãos criticam a UNESP sem ao menos saberem que foi lá que eu vi as maiores demonstrações de honestidade com dinheiro, um dia  minha amiga perdeu a carteira na UNESP e a devolveram com todo o dinheiro dentro, ela ficou impressionada...Pen drives eram deixados nos PCs do laboratório, computadores na biblioteca enquanto as pessoas iam dar uma volta no Campus ahhh e ainda havia mochilas deixadas na entrada da biblioteca em uma estante enquanto se entrava e pegava livros... Já deixei a minha lá com 1500 reais e estava totalmente despreocupada, afinal UNESP é UNESP. Dizem o que quiserem dizer, mas nesse mundo invertido, foi lá que encontrei mais falta de egocentrismo, mais pensamento no outro, mais inclusão, mais aceitação das diferenças, mais cooperação, mais luta pelo bem comum e organização coletiva para isso....Em contrapartida foi na igreja que eu encontrei mais egoísmo, mais individualidade, mais e muito mais vaidade e rejeição. Dizem o que quiserem, foi lá que encontrei mais valorização da criação de Deus, da natureza e da simplicidade. Dizem o que quiserem, lá eu me sinto bem enquanto lá ....bom, lá eu me sinto indignada!




Mudança

A oportunidade de mudança sempre vem com vestimenta de medo de fracassar, livrar-se do medo, se adaptar e superar é a prova de que somos seres adaptáveis, flexíveis e em constante transformação!

domingo, 8 de janeiro de 2017

Em 2017: quem sou eu




Resolvi pela primeira vez na vida participar desses desafios e aceitei o #desafiodeestudos e no dia 1 devo falar sobre mim: sou aquela repleta de histórias, com uma memória gigante me lembro de com sete anos escolhendo minha profissao e dizendo desde então que seria professora já com 21 anos lembro-me de ouvir de uma mãe de aluno sobre como eu era novinha e se era a primeira vez que eu seria professora rs em meio a escolha profissional que me define demais, também sou calmaria em tempo de crise, poesia em tempo de tristeza, textos em tempo de reflexão! Com um dedo no presente, vivo com os pés nos futuros, sonhando poeticamente vou costurando meus dias, ou deixando-os ser costurado pelo patrocionador de todos os meus abundantes sonhos: Deus!

Férias

Férias: estou eu aqui esse ano optei por não trabalhar no meu emprego de férias (rs) devido as atividades acadêmicas, entretanto, pela segunda noite sonhei que estava sendo admitida no meu primeiro trabalho novamente e agora com outras funções....


Já deu um mês de férias, tenho mais um mês, mas estou sentindo falta da correria de sair de casa, voltar e estudar nas áreas vagas...
Definitivamente eu rendo mais com mais coisas para fazer, a minha intensidade se multiplica na minha ação! 


Nada x 0 é igual a nada...

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Inclusão



Um acidente o acometeu  o deixou fisicamente debilitado,  



 " ...foi obrigado a ter que renascer a cada dia e ter que conviver com o que se tornou."


(Brum, 2006)



Acidentar-se, tornar-se deficiente, ser deficiente é inevitável, diante disso, só nos resta renascer, reviver, reinventar e prosseguir.  

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Vontade de leitura




Chega nessa época do ano algo em mim anseia por literatura, passo a ter vontades constantes   de ler clássicos, de me envolver com arte de me relacionar com vários personagens. Então, desço até as minhas duas estantes de aço e tirando as duas filheiras de livros de cada prateleira repenso nos que eu tenho, nos que eu ainda não li...não obtendo sucesso procuro uma biblioteca municipal e se mesmo assim não obtenho sucesso vou até o submarino e lá encontro o que eu quero.


Faz anos que é assim....

Norma e deficiência

Enquanto isso na aula de filosofia...





Resultado de imagem para filosofia

Temos normas externas que regulam nossa vida, nós nos impomos para ficar dentro da norma, não sabemos que vida queremos, pois isto é   determinado, vamos nos anulando




 Todos somos diferentes, não podemos superar  todas as nossas deficiências, conviver com as pessoas com deficiência é elas mostrarem os nossos limites.





Nós humanos temos a capacidade de nos recrearmos diante da deficiência  e implica na recriação da própria vida.





Eu preciso saber das minha limitações para lidar com o outro.




Deficiente é o que convive com os efeitos dos acidentes , acidente é falta de escolha, qualquer um está sujeito a acidentes, a vida continua não da mesma forma, mas continua.


Quando a gente começa a lidar com esse outro a gente se vê nesse outro.


Ética não se ensina se aprende.

Temos a capacidade de criar a partir das dificuldades.

Não devemos fazer somente auto avaliação, mas sim julgamento reflexivo sobre nossa ação.





Retomar esses fragmentos de pensamentos me fez perceber que me sentir deficiente em algo não é o problema, o problemas é eu não me recriar! Recriando-me vou  dando ênfase para o que realmente merece.

sábado, 31 de dezembro de 2016

2016 e 2017

2016


foi um ano que não quis levar para si holofotes, abriu caminhos, isso mesmo, há portas abertas que em 2016 serão concretizações de sonhos sonhados há alguns anos.


2016 porta aberta para 2017 e que fique o 7 com todo holofote de um brilho de um ano estupendo!


ps: em breve mais detalhes rs

Dissertação


Para alegria geral e felicidade da nação diga ao povo que  eu enviei a dissertação para o orientador! Exatamente no último dia do ano como eu havia prometido a mim mesma, sim deu tudo certo! Agora é só esperar as correções e em breve imprimir e enviar para a banca...sinto cheiro de relacionamento rompido, dissertação não te quero mais! 

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Praia não combina com dezembro

Li  esses dias um texto de uma moça que estava revoltada por ver tantas pessoas postando fotos na praia enquanto ela estava trabalhando, o texto engraçado revela desejos ruins dessa moça a essas pessoas. Desde que li esse texto passei a ver trocentas mais fotos de pessoas na praia nas minhas redes sociais, enquanto eu estou aqui lutando para terminar um texto que está me matando e que eu tenho que terminar porque tenho vários outros trabalhos para fazer.
Estou aqui atrás de um computador, tentando descansar um pouco a cabeça para retomá-lo há alguns minutos, antes que comece a  novela da tarde que há anos simboliza o oásis em meio ao meu desértico de férias. 
Vejo essas fotos e penso: será mesmo que todas essas pessoas gostam de praia assim como demonstram? Gostam de um lugar com muitas pessoas reunidas, muitas bebendo bebidas alcoólicas, crianças correndo, jogando bola, chutando areia, o sol escaldante, o medo de arder, a preocupação com o protetor solar, a preocupação com o que comer e como comer para não ficar doente. Será que as pessoas gostam mesmo do tiozinho vendendo canga, da venda da água no isopor, do pensamento de quantas pessoas estão fazendo xixi na água? Será que as pessoas gostam mesmo de ter que andar para chegar na praia, de entrar na água salgada e ficar pulando incansavelmente não podendo conversar direito porque a onda está vindo? Será que gostam mesmo de não poderem entrar com óculos de sol na água, de se sentirem mal por dormirem até tarde e estarem perdendo o dinheiro que gastaram para ir até lá? Será que gostam?

Ou será que gostam do status de que tudo isso proporciona? Não sei quem foi o brasileiro que inventou que dezembro e janeiro tem que ir para praia, sou mais uma viagem a Ouro Preto, Bonito, Ribeirão Claro, uma ida a museu com ar condicionado, ou uma exposição bizarra, sou mais uma ida a livraria cultura e no final de tudo isso talvez eu seja praia.
Desde que eu não entre na água, desde a praia seja deserta, não haja sol sobre a minha cabeça e eu possa sentar na beira dela e no horizonte olhar o sol caindo, beijando o mar e anunciando que é noite!


Engraçado que estou esperando um vídeo desse na minha timeline, mas ainda não vi, afinal isso para brasileiro não é praia! Para mim praia é quadro vivo, é criação de Deus, é natureza, é perfeição, para eles é ostentação, bebidas, sol, areia e fotos postadas.


Resultado de imagem para praia por do sol                     




Ps: praia não combina com dezembro, combina mesmo é com maio!